Dia da Hispanidade no Sul do Brasil

Dia da Hispanidade no Sul do Brasil

O Dia da Hispanidade é o dia nacional da Espanha, uma celebração que reivindica o castelhano, a cultura, a cristandade, a geografia e a economia do país. O Dia da Hispanidade é um dos eventos mais importantes de todo o Estado espanhol, marcado por demonstrações de identidade, tradições, costumes e um profundo sentimento de pertencimento ao território nacional.

No Sul do Brasil, onde temos uma grande população hispânica, também deveria-se comemorar o Dia da Hispanidade pela nossa história enquanto nação, iniciada com as reduções missioneiras guaranis no período colonial, cujo Tratado de Tordesilhas garantia toda a região da Bacia do Rio da Prata como parte do Império espanhol. Além de ser uma homenagem à língua, à identidade espanhola e às contribuições que fizeram uma exímia diferença na história da humanidade, o Dia da Hispanidade comemora a chegada de Cristóvão Colombo à América, em 1492, ponto determinante para a união entre a velha Europa e o continente americano, concretizada por meio da colonização das terras conquistadas. 

Todavia, após a descoberta do Novo Mundo, como uma vez disse o condutor Juan Perón: “A Espanha criou, construiu universidades, difundiu a cultura, formou homens e fez muito mais; fundiu e confundiu seu sangue com a América e marcou suas filhas com um selo que as torna, embora diferentes da Mãe em sua forma e aparência, iguais a ela em sua essência e natureza”. Portanto, diferentemente do que nos é ensinado nas escolas, os espanhóis não vieram saquear as riquezas dos índios e matá-los por sadismo; quem fez isso foram os ingleses quando chegaram na América do Norte. Os crioulos espanhóis queriam expandir não só suas riquezas mas o próprio sangue além das fronteiras ibéricas. O Império espanhol não tinha colônias, mas reinos, e, portanto, os próprios nativos americanos, como os incas e todos os que aceitaram a presença espanhola, foram reconhecidos como parte da hispanidade pela corte de Madrid. Espanha não destruiu uma civilização, a aprimorou. Não só isso, dessa união surgiu várias outras identidades regionais mestiças frutos dessas terras como, por exemplo, o gaúcho pampeano. Entretanto, não devemos nos apegar em um sentimentalismo espanholista fanático e distante da nossa própria terra sul-americana. Devemos sim, enxergar nosso passado colonial – e o fato de termos também o mesmo sangue desse bravo povo guerreiro – com respeito. 

O Dia de la Hispanidad, ou o Dia de la Raza, deve ser encarado como uma homenagem ao patrimônio cultural espanhol e com o devido reconhecimento às contribuições do povo espanhol para a evolução latino-americana e o restante do mundo.

La Hispanidad y su mestizaje es una de las cosas más hermosas en la historia de las civilizaciones.

“Por España y el que quiera defenderla, honrado muera. Y el que traidor la abandone, no tenga quien le perdone, ni en tierra santa cobijo, ni una cruz en sus despojos, ni las manos de un buen hijopara cerrarle los ojos.”

Guilherme Fernandes

Guilherme Fernandes

Membro da Resistência Sulista e Dono do blog Tierra Australes. Também um ativista ferrenho pela reunificação do Uruguai e do Rio Grande do Sul como uma só pátria sob o estandarte de José Artigas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *