Pequeno guia para ativistas

Pequeno guia para ativistas

Por Rebelião Contra o Mundo

Tradução de Guilherme Fernandes / Resistência Sulista

Este guia é dirigido a todos aqueles que desejam participar da nossa organização. Esta é, sem dúvida, a primeira experiência política e ativista de muitos dos mais jovens, por isso preparamos um guia baseado nas perguntas comumente feitas por quem quer se juntar à nossa organização.

O que é ativismo?

O ativismo consiste, antes de tudo, em divulgar nossos pensamentos no espaço público. O Socialismo Revolucionário Europeu é tanto um projeto alternativo para a sociedade quanto uma abordagem de como alcançá-lo. Portanto, nossas ideias devem ganhar vida na realidade cotidiana e são um compromisso ético com nossa ação militante.

Se você deseja realizar uma atividade política coerente, deve criar uma organização formal, estável e duradoura. Isso implica que todo ativista deve estar ciente da seriedade de seu compromisso e de sua importância a longo prazo, razão pela qual deve participar tanto das atividades no terreno quanto do desenvolvimento teórico de nossas propostas. Todos podem participar construtivamente no âmbito do ativismo de acordo com seus meios, disponibilidade e habilidades. O espírito revolucionário nasce do vínculo entre ação e reflexão, prática e teoria.

Portanto, não há lugar para espectadores ou meros apoiadores dentro de uma organização militante. A militância deve ser organizada (o mais eficaz possível) e autônoma (adaptada ao local).

Como ser um ativista?

A revista Rébellion foi criada como uma rede de distribuição informal baseada na boa vontade de nossos pares. Com o tempo, Círculos de Rebelião começaram a surgir em várias partes.

Agora buscamos coordenar nossos apoiadores e leitores de vários lugares. Um Círculo de Rebelião deve ter um mínimo de três membros em uma determinada área geográfica, seja uma cidade ou uma universidade. Além disso, você deve realizar ações regulares no campo (pelo menos uma vez por mês) e dar a conhecer essas ações à revista.

Por enquanto só temos círculos em Aix/Marselha e Toulouse. Embora outros círculos possam ser criados em diferentes lugares e isso implica que nossos leitores se tornem líderes de novos pequenos grupos.

A atividade de nossos ativistas pode ser resumida da seguinte forma:

Produção e divulgação da revista Rébellion

  • Redação e elaboração dos diferentes números da revista. Os editores de nossa revista são voluntários e realizam todas as suas tarefas coletivamente. Recordemos que a nossa publicação vive do apoio dos seus leitores, pelo que não recorremos ao uso de publicidade ou qualquer forma de financiamento (o que não queremos).
  • Distribuição ativa e expansão de nossa rede de leitores.
  • Distribuição em livrarias e na rua (venda pelos nossos militantes).

Ativismo no terreno:

  • Cole cartazes e adesivos.
  • Organização de reuniões de apresentação para a revista Rébellion e ideias OSRE.
  • Distribuição de folhetos e da revista em bairros populares, fábricas e escolas.

Dentro dos círculos da Rebelião:

  • Formação teórica e prática dos militantes.
  • Todos os militantes devem compartilhar as mesmas tarefas, pois não há “líderes”, mas líderes que guiam impessoalmente cada uma de suas ações.
  • Vontade de criar uma comunidade militante autêntica, forte e amigável ao mesmo tempo, um espaço de vida comunitária baseado na alegria e no compromisso.

Na vida cotidiana:

  • Os ativistas devem praticar o pensamento que professam e ser modelos. Eles devem divulgar suas ideias sem provocar ninguém, apenas pela força do exemplo.
  • A Internet e as mídias sociais devem ser usadas para distribuir anúncios de lançamento de revistas, comunicados à imprensa, contatos de divulgação, etc.

Por dentro das reuniões internas

É importante focar nos objetivos e não se perder em discussões estéreis. No final do dia, todos devem ter um trabalho atribuído e realizar determinadas atividades. Também é necessário realizar uma avaliação honesta das ações e transmiti-la adequadamente

Grupos de ação: uma forma de autonomia

O Círculo de Rebelião não é a única forma possível de ação da OSRE. Jovens e apoiadores que ainda não podem criar um círculo próprio podem assistir as ações de outros círculos nesse meio tempo. O objetivo por enquanto é o ativismo de base e a formação teórica.

Se pretender criar um círculo ou um grupo de ação, pode contatar o nosso site para conhecer as modalidades que dispomos.

Fontes: https://rebelioncontraelmundomoderno.wordpress.com/2022/03/15/pequena-guia-para-activistas/ e https://rebellion-sre.fr/petit-guide-du-militant-sre/

Guilherme Fernandes

Guilherme Fernandes

Membro da Resistência Sulista e Dono do blog Australis Regio. Também um ativista ferrenho pela reunificação do Uruguai e do Rio Grande do Sul como uma só pátria sob o estandarte de José Artigas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.