O Dia da Lealdade do Povo

O Dia da Lealdade do Povo

Por Guilherme Fernandes / Resistência Sulista

Há 76 anos, aconteceu na Argentina uma das maiores manifestações na história na Praça de Maio, quando milhares de trabalhadores mobilizaram-se para exigir a liberdade de Perón.

Uma tremenda maré, cuja expressão de lealdade do povo irmão, nos inspira na construção de uma América Austral que diz sim às bandeiras históricas de um movimento que ainda inspira vários outras mobilizações semelhantes por todo o Mundo.

Um marco que transformou o então coronel Perón no líder indiscutível do movimento político nacional e popular, isso nessa data, conhecido como o “Dia da Lealdade”, mudou para sempre a forma como a política foi realizada nessas terras austrais dando origem ao peronismo.

E não foram poucos os acontecimentos na história platina, como esse que impulsionados pela força transformadora daquela época, marcou uma ruptura e tornou possível para os setores populares conquistar os direitos sociais, as condições de cidadania e subsistência. Como o debate de ideias sobre o conceito de justiça social, independência econômica e soberania política.

Dois anos antes, um golpe liderado pelo General Arturo Rawson encerrou o governo de Ramón Castillo, em 4 de junho de 1943, decorrente de fraude eleitoral, terminando a década infame, em que uma continuidade de governos ungido por eleições controladas pela elite.Foi nessa época que Perón começou a forjar sua jornada política, do grupo de oficiais unidos (GOU) e depois da Secretaria de trabalho e previsão.

No entanto, em 9 de outubro de 1945, o general Eduardo Avalos prendeu Perón e o transferiu para a Ilha Martín García, o que levou à convocação de uma greve nacional revolucionária, que culminou na praça e a subsequente libertação de seu líder , à meia-noite de 17 de outubro.

A demanda dos trabalhadores suburbanos para o lançamento do que eles consideraram seu condutor em que eles fixaram suas esperanças de uma mudança radical foi lançada sobre o epicentro da cidade. Lá, fora da lealdade do povo, à meia-noite de 17 de outubro, nasceu uma nova Argentina.

Guilherme Fernandes

Guilherme Fernandes

Membro da Resistência Sulista e Dono do blog Contra o Sistema Mundial. Também um ativista ferrenho pela reunificação do Uruguai e do Rio Grande do Sul como uma só pátria sob o estandarte de José Artigas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *