Essa Terra Tem Dono!

Essa Terra Tem Dono!

São Sepé Tiaraju, nascido em uma das Sete Cidades das Missões Orientais, em São Luís Gonzaga ou São Francisco de Borja, cuja populações estavam sob jurisdição espanhola e submetidas a constantes ataques de tropas luso-brasileiras.

Em 1750, pelo Tratado de Madri, Portugal cedeu a Colônia de Sacramento (agora em território uruguaio) para a Espanha, que por sua vez entregou os Sete Povos das Missões Orientais. Os guaranis que o habitavam tiveram que se retirar para implementar o acordo. Os nativos, induzidos pelos jesuítas, não aceitaram o Tratado e isso iniciou a Guerra Guarani (1754 – 1756) que os colocou contra as tropas espanholas e luso-brasileiras.

Sepé Tiarajú, um homem preparado, alfabetizado, com devido treinamento militar, e tendo sido capitão do exército espanhol tinha condições de comando, liderou os Guarani e nunca se curvou a nenhum dos inimigos.

No início do conflito, os guaranis obtiveram algumas vitórias, mas entre Março e Abril de 1754, quando atacaram o Forte Jesus, Maria, José de Rio Pardo, na margem esquerda do rio Yacuí, no auge da foz do Rio Pardo a fronteira da região das Missões Orientais foi derrotada. Tiarajú mesmo capturado, conseguiu escapar na noite anterior à sua execução.

E em 7 de Fevereiro de 1756, mais de 3.000 soldados luso-brasileiros e espanhóis atacaram o campo às margens do rio Vacacaí arrasando todos que viam pela frente, de Guarani a Jesuítas. José Joaquín de Viana, então governador de Montevidéu, como ele mesmo contou, atirou em Tiarajú com um tiro enquanto montava um cavalo. Seu corpo foi queimado e suas cinzas espalhadas pelo campo.

Nicolau Eanguirú sucedeu Tiarajú como líder; três dias depois, em 10 de Fevereiro, ele e seu exército improvisado de 1500 homens são exterminados na Batalha de Caiboaté.

Como o corpo de São Sepé não foi encontrado no campo de batalha, a crença de que ele subiu ao céu se espalhou, surgindo assim, a veneração dele como santo popular nas províncias guaraníticas das missões orientais argentinas, uruguaias e riograndenses.

A rebelião encabeçada por São Sepé, foi em defesa de uma forma de vida comunitária e espiritual que se viu ameaçado por uma Europa alienada da realidade americana. Por isso, seu nome se converteu em um símbolo de bravura e resistência em defesa de nosso povo e em defesa dessa terra austral.

ASSIM COMO NOSSO SANTO GUERREIRO ENTOOU O GRITO DE LIBERDADE E PERTENCIMENTO DESTE SOLO, GRITEMOS MAIS UMA VEZ E MIL VEZES MAIS PARA ECOAR POR TODA A ETERNIDADE: CO YVY OGUERECO YARA!

Redação

Redação

Administrador da verdadeira dissidência política da América Austral.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *